Quem sou eu

Minha foto
PARÁ DE MINAS, MINAS GERAIS, Brazil
Muitas qualidades, muitos defeitos, mas é no equilíbrio que se leva a vida em frente. Desistir nunca, o ceú é o limite, e mesmo depois temos o espaço.

Mais Você-Ana Maria

Mais Você-Ana Maria

N.E.O.Q.E.A.V

N.E.O.Q.E.A.V
NUNCA ESQUEÇA O QUANTO EU AMO VOCE


MINHA MÃE ENIA

ENIA MELGAÇO

ENIA MELGAÇO

MÂE ,VOCÊ É UNICA PESSOA NO MUNDO QUE MERECE ESTA HOMENAGEM...

Toda e qualquer injustiça, revida com genuíno amor.Renuncia-se a si própria, não se importa com a dor.Quando ela se ajoelha, para pedir por um filho.Mobiliza o céu inteiro, que pára ante seu clamor.Oração de mãe Deus ouve, reconhece tal sentimento.Só ao Seu amor se compara tamanho desprendimento.Na vida dos filhos é benção, e do céu, a dádiva maior.Abre mão de seus anseios, jamais espera louvor.Do amor que lhes dedica nunca lhes imputa débitoVibra com suas vitórias, esquece o próprio mérito.Essa doce fera vive pra proteger sua prole.E se um deles se ferir, não há o que a console.Amor de mãe é pra sempre, como o amor de Deus.Com a força de uma leoa, ela defende os seus.Mesmo com a própria vida, disso não abre mão.Amor que nos impulsiona e acalanta o coração.


UM BEIJO CARINHOSO DE SUA FILHA
ZANZA

MÃE

MÃE
Mãe: palavra pequena, mas com um significado infinito, pois quer dizer amor, dedicação, renúncia a si própria, força e sabedoria. Ser mãe não é só dar a luz e sim, participar da vida dos seus frutos gerados ou criados. Obrigado por termos você

MINHA ETERNA PAIXÃO

MINHA ETERNA PAIXÃO

QUEM TE ENSINOU A NADAR?

sábado, 24 de janeiro de 2009

Maria Rita





BIOGRAFIA

Maria Rita Mariano nasceu em 09 de setembro de 1977 num ambiente musical. Fruto da união entre a cantora Elis Regina e o músico César Camargo Mariano, Maria Rita conviveu, desde o nascimento, com música de boa qualidade. Seus irmãos mais velhos, João Marcelo Bôscoli (filho do casamento de Elis com o produtor musical Ronaldo Bôscoli) e Pedro Mariano, também músicos, de certo modo foram importantes na formação da jovem cantora.

Foi através de João Marcelo que o palco passou a fazer parte da vida da filha de Elis. Aos 12 anos fez ‘backing vocal’ numa banda comandada pelo irmão e por Simoninha.

Viveu nos EUA entre os 16 e os 24 anos, primeiro com o pai e depois sozinha, em Manhattan. Nesse período amadureceu a idéia de se tornar cantora, formou-se em Comunicações Sociais e conviveu com gente do mundo inteiro. Diverte-se ao lembrar que seu objetivo quando voltasse ao Brasil era o de criar e lançar uma revista de política para adolescentes. Além da fluência no inglês, o estágio em terras norte-americanas foi de suma importância para que Maria Rita pudesse entender, entre outras coisas, que a semelhança e a influência do trabalho da mãe são absolutamente genéticas. Por essa razão, diz, as comparações sempre foram naturais e partiam, inclusive, do próprio pai.

Fora a genética, Elis teve menor influência em sua formação artística. Ella Fitzgerald, Nat King Cole, Djavan e Cássia Eller são os mais citados como profissionais que a influenciaram. Seu amadurecimento se deu ouvindo jazz, música instrumental e rap.

A musicalidade, entretanto, foi sempre uma coisa natural para Maria Rita. Quando a vontade de soltar a voz ficava incontrolável, ia cantar no coral da igreja ou em shows de calouros da escola. Apesar disso, garante, a certeza da necessidade de cantar veio lentamente. Não tinha convicção se a vontade era motivada pela insistência de pessoas próximas ou por razões pessoais. A confirmação veio somente após ter se identificado, num livro, com uma personagem que vivia o conflito entre optar pela poesia ou pela carreira militar. Uma outra personagem da história fez ao protagonista o seguinte comentário: “A pergunta que você tem que se fazer, na calada da noite, no momento mais solitário de sua vida é se consegue viver sem escrever”. Esse trecho ficou martelando na memória da então adolescente Maria Rita até ela encarar o teste de fazer para si mesma a pergunta: “Consigo viver sem cantar?”. A decisão estava tomada. Foi quando estudou canto para aperfeiçoar o dom natural.

Maria Rita, porém, nunca quis a fama fácil em função de sua hereditariedade. Jamais citava a mãe em público, recusou-se a dar entrevistas sobre o fato e evitou utilizar o repertório da mãe famosa, primeiro porque temia ser massacrada com as comparações e depois porque acreditava, após ter estudado mais a fundo o trabalho da mãe, que o material é uma obra-prima e as interpretações, definitivas.

A música nacional e tudo o que a envolve entrou em polvorosa no dia 06 de maio de 2002, quando o violonista Chico Pinheiro chamou-a para cantar como convidada especial em seu show no Supremo Musical, em São Paulo. A platéia ficou perturbada com a interpretação de Maria Rita que, enfim, fazia sua estréia em grande estilo.

O CD “Maria Rita” foi lançado em setembro de 2003 pela Warner Music e cercado de todos os cuidados. Houve um show de lançamento no Canecão (RJ) e uma turnê em outubro do mesmo ano. Cem mil cópias vendidas renderam ao álbum um disco de ouro, entregue em show, pela diretoria da Warner Music.

Diversas gravadoras se dispunham a contratar Maria Rita, inclusive a Trama, que pertence ao irmão João Marcelo. Maria Rita, outra vez, optou pela independência, buscando neutralizar possíveis comentários maldosos.

Gravado no Rio de Janeiro, o CD que teve a própria cantora como co-produtota, junto com Tom Capone, foi o oitavo mais vendido em Portugal, onde ganhou o disco de ouro.

“Maria Rita” é um CD com 13 músicas escolhidas criteriosamente para dar uma linha ao trabalho. Proposital foi fugir de super produções e apostar em arranjos econômicos, mas de bom gosto. Parcerias consagradas como as de Milton Nascimento e Fernando Brant ou mais recentes como as de Rita Lee e Zélia Duncan, são alguns dos destaques do disco, que somou mais de 600 mil cópias vendidas, incluindo as vendas do DVD.

Seguindo o sucesso alcançado no primeiro disco, “Segundo”, foi lançado em 2005. O disco foi co-produzido por Maria Rita e Lenine e traz, além de inéditas, uma regravação de “Minha Alma”, do grupo O Rappa, com quem dividiu o palco na gravação de “Rodo Cotidiano”, para o DVD “Acústico MTV” da banda.

O DVD “Segundo ao Vivo” é o mais recente trabalho da cantora e reúne canções e ‘making of’ do show “Segundo”.

Tá perdoado



Conversa de Botequim (Som Brasil)



encontros e despedidas

Nenhum comentário:

Conquiste a Paz

Photobucket

Deficiência

Deficiência
Deficiente é aquele que não consegue modificar a vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

Células Tronco

Células Tronco

NOBREZA

NOBREZA

LIBERDADE

LIBERDADE
Porque a liberdade tem que ser uma conquista individual para depois se tornar um enorme plural...

LUNNA

LUNNA
UNA BELLISSIMA LUNA PIENA

Limitação

Limitação
Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: Quero é uma verdade inventada. Clarice Lispecto

OSHO

OSHO
"Cada um é único e incomparável. Você é apenas você mesmo: ninguém nunca foi como você e ninguém nunca será como você. E você também não precisa ser nenhum outro." OSHO

Como uma borboleta

Como uma borboleta
Mas o que realmente era preciso era pensamento positivo. Que poderia ser livre, bem aceita, e voar leve, por onde desejasse. Que pensasse em ser borboleta o tempo todo e tudo poderia ir mudando, até que, mais rápido do que ela imaginasse, ela sairia do casulo, como uma borboleta.

AMOR

AMOR
O ódio revela muita coisa que permanece oculta ao amor. Lembra-te disso e não desprezes a censura dos inimigos.

COLO DE MÃE É UMA DELICIA!

COLO DE MÃE É UMA DELICIA!

PRECE A MÃE TERRA

PRECE A MÃE TERRA
foto

Secret

Secret

Relogio

relojes web gratis

clima

pais on line