Quem sou eu

Minha foto
PARÁ DE MINAS, MINAS GERAIS, Brazil
Muitas qualidades, muitos defeitos, mas é no equilíbrio que se leva a vida em frente. Desistir nunca, o ceú é o limite, e mesmo depois temos o espaço.

Mais Você-Ana Maria

Mais Você-Ana Maria

N.E.O.Q.E.A.V

N.E.O.Q.E.A.V
NUNCA ESQUEÇA O QUANTO EU AMO VOCE


MINHA MÃE ENIA

ENIA MELGAÇO

ENIA MELGAÇO

MÂE ,VOCÊ É UNICA PESSOA NO MUNDO QUE MERECE ESTA HOMENAGEM...

Toda e qualquer injustiça, revida com genuíno amor.Renuncia-se a si própria, não se importa com a dor.Quando ela se ajoelha, para pedir por um filho.Mobiliza o céu inteiro, que pára ante seu clamor.Oração de mãe Deus ouve, reconhece tal sentimento.Só ao Seu amor se compara tamanho desprendimento.Na vida dos filhos é benção, e do céu, a dádiva maior.Abre mão de seus anseios, jamais espera louvor.Do amor que lhes dedica nunca lhes imputa débitoVibra com suas vitórias, esquece o próprio mérito.Essa doce fera vive pra proteger sua prole.E se um deles se ferir, não há o que a console.Amor de mãe é pra sempre, como o amor de Deus.Com a força de uma leoa, ela defende os seus.Mesmo com a própria vida, disso não abre mão.Amor que nos impulsiona e acalanta o coração.


UM BEIJO CARINHOSO DE SUA FILHA
ZANZA

MÃE

MÃE
Mãe: palavra pequena, mas com um significado infinito, pois quer dizer amor, dedicação, renúncia a si própria, força e sabedoria. Ser mãe não é só dar a luz e sim, participar da vida dos seus frutos gerados ou criados. Obrigado por termos você

MINHA ETERNA PAIXÃO

MINHA ETERNA PAIXÃO

QUEM TE ENSINOU A NADAR?

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Se existe saudade ...

A saudade é esse passarinho que vem de leve e


pousa no nosso coração trazendo lembranças,

como um colibri que beija a flor e traz beleza.

E ela nem escolhe hora ou lugar,

só aparece assim, invadindo inteiramente

esse espaço que consideramos reservado

às pessoas ou ocasiões especiais.

Mas se existe saudade,

é porque existem sementinhas de

ternura plantadas em nós;

pedacinhos de coisas boas, que talvez nem tenham

ficado muito tempo, mas o suficiente para

deixar um rastro, um sabor, uma marca,

um perfume.

Outro dia, falando sobre a saudade que

sinto da minha família virtual, ouvi, com surpresa,

alguém dizer que não é possível sentir

saudade de pessoas que nunca vimos.

E como não?

Que nome dar então a essa falta,

esse vazio nostálgico, dolorido e bom que invade

a alma e toma conta do momento?

Essa viagem que fazemos

sem malas e documentos

e que nos leva e nos trás, cheios de amor

e de não sei o quê?

A saudade é uma prova, um certificado,

carimbado e assinado embaixo de que

não estamos inteiramente sós e nem vazios.

As pessoas vêm e vão e ficam assim se prolongando em nós,

existindo pela eternidade do nosso caminho.

E amanhã ou depois, quando tudo o que sobrar

em nós forem pedaços do passado,

teremos esse coração rico em histórias

que nos farão rir sozinhos e nos sentir vivos.

São essas as peças que os verdadeiros amigos

pregam ao nosso coração.

Caímos nessa armadilha e ainda nos divertimos.

Aprendemos assim que sentir saudade

é respirar o amor que plantaram em nós.

É viver depois repletos desse amor

para a vida toda.

Letícia Thompson

ETIQUETA, SEM PREÇO



A nota é internacional e diz, mais ou menos assim: Aquela poderia ser mais uma manhã como outra qualquer.

Eis que o sujeito desce na estação do metrô de Nova York, vestindo jeans, camiseta e boné.

Encosta-se próximo à entrada. Tira o violino da caixa e começa a tocar com entusiasmo para a multidão que passa por ali, bem na hora do rush matinal.

Mesmo assim, durante os 45 minutos em que tocou, foi praticamente ignorado pelos passantes.

Ninguém sabia, mas o músico era Joshua Bell, um dos maiores violinistas do mundo, executando peças musicais consagradas, num instrumento raríssimo, um Stradivarius de 1713, estimado em mais de 3 milhões de dólares.

Alguns dias antes, Bell havia tocado no Symphony Hall de Boston, onde os melhores lugares custaram a bagatela de mil dólares.

A experiência no metrô, gravada em vídeo, mostra homens e mulheres de andar ligeiro, copo de café na mão, celular no ouvido, crachá balançando no pescoço, indiferentes ao som do violino.

A iniciativa, realizada pelo jornal The Washington Post, era a de lançar um debate sobre valor, contexto e arte.

A conclusão é de que estamos acostumados a dar valor às coisas, quando estão num contexto.

Bell, no metrô, era uma obra de arte sem moldura. Um artefato de luxo sem etiqueta de grife.

Esse é mais um exemplo daquelas tantas situações que acontecem em nossas vidas, que são únicas, singulares e a que não damos importância, porque não vêm com a etiqueta de preço.

Afinal, o que tem valor real para nós, independentemente de marcas, preços e grifes?

É o que o mercado diz que podemos ter, sentir, vestir ou ser?

Será que os nossos sentimentos e a nossa apreciação de beleza são manipulados pelo mercado, pela mídia e pelas instituições que detêm o poder financeiro?

Será que estamos valorizando somente aquilo que está com etiqueta de preço?

Uma empresa de cartões de crédito vem investindo, há algum tempo, em propaganda onde, depois de mostrar vários itens, com seus respectivos preços, apresenta uma cena de afeto, de alegria e informa: Não tem preço.

E é isso que precisamos aprender a valorizar. Aquilo que não tem preço, porque não se compra.

Não se compra a amizade, o amor, a afeição. Não se compra carinho, dedicação, abraços e beijos.

Não se compra raio de sol, nem gotas de chuva.

A canção do vento que passa sibilando pelo tronco oco de uma árvore é grátis.

A criança que corre, espontânea, ao nosso encontro e se pendura em nosso pescoço, não tem preço.

O colar que ela faz, contornando-nos o pescoço com os braços não está à venda em nenhuma joalheria. E o calor que transmite dura o quanto durar a nossa lembrança.



O ar que respiramos, a brisa que embaraça nossos cabelos, o verde das árvores e o colorido das flores é nos dado por Deus, gratuitamente.

Pensemos nisso e aproveitemos mais tudo que está ao nosso alcance, sem preço, sem patente registrada, sem etiqueta de grife.

Usufruamos dos momentos de ternura que os amores nos ofertam, intensamente, entendendo que sempre a manifestação do afeto é única, extraordinária, especial.

Fiquemos mais atentos ao que nos cerca, sejamos gratos pelo que nos é ofertado e sejamos felizes, desde hoje, enquanto o dia nos sorri e o sol despeja luz em nosso coração apaixonado pela vida.

Redação do site momento.com, a partir de comentário

de Willian Hazlitt, que circula pela Internet.


Conheça agora o belíssimo trabalho de Joshua Bell e delicie-se com seu talento.




O Silêncio dos lobos




O Silêncio dos lobos -


Silêncio Pense em alguém que seja poderoso...

Essa pessoa briga e grita como uma galinha, ou olha e silencia, como um lobo?

Lobos não gritam. Eles têm a aura de força e poder. Observam em silêncio.

Somente os poderosos, sejam lobos, homens ou mulheres, respondem a um ataque verbal com o silêncio.

Além disso, quem evita dizer tudo o que tem vontade, raramente se arrepende por magoar alguém com palavras ásperas e impensadas.

Exatamente por isso, o primeiro e mais óbvio sinal de poder sobre si mesmo é o silêncio em momentos críticos. Se você está em silêncio, olhando para o problema, mostra que está pensando, sem tempo para debates fúteis.

Se for uma discussão que já deixou o terreno da razão, quem silencia mostra que já venceu, mesmo quando o outro lado insiste em gritar a sua derrota. Olhe. Sorria. Silencie. Vá em frente.

Lembre-se de que há momentos de falar e há momentos de silenciar. Escolha qual desses momentos é o correto, mesmo que tenha que se esforçar para isso.

Por alguma razão, provavelmente cultural, somos treinados para a (falsa) idéia de que somos obrigados a responder a todas as perguntas e reagir a todos os ataques.

Não é verdade ! Você responde somente ao que quer responder e reage somente ao que quer reagir. Você nem mesmo é obrigado a atender seu telefone pessoal.

Falar é uma escolha, não uma exigência, por mais que assim o pareça. Você pode escolher o silêncio.

Além disso, você não terá que se arrepender por coisas ditas em momentos impensados, como defendeu Xenocrates, mais de trezentos anos antes de Cristo, ao afirmar: “ ME ARREPENDO DE COISAS QUE DISSE, MAS JAMAIS DO MEU SILÊNCIO".

Responda com o silêncio, quando for necessário. Use sorrisos, não sorrisos sarcásticos, mas reais.

Use o olhar, use um abraço ou use qualquer outra coisa para não responder em alguns momentos.

Você verá que o silêncio pode ser a mais poderosa das respostas. E, no momento certo, a mais compreensiva e real delas.
 
 
 
 Autor do Slide: Ria Ellwanger [email_address] Autor do Texto: Aldo Novak Música: Richard Clayderman – Without You Imagens: Getty Images Este slide é exclusivo do site Ria Slides



 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

quarta-feira, 5 de maio de 2010

As palavras sempre ficam


"Se me disseres que me amas, acreditarei.


Mas se escreveres que me amas,

acreditarei ainda mais.



Se me falares da tua saudade, entenderei.

Mas se escreveres sobre ela,

eu a sentirei junto contigo.



se a tristeza vier a te consumir e me contares,

eu saberei. Mas se a descreveres no papel,

o seu peso será menor."



...e assim são as palavras escritas:

possuem um magnetismo especial,

libertam, acalentam, invocam emoções.



Elas possuem a capacidade de, em poucos minutos, cruzar mares,

saltar montanhas, atravessar

desertos intocáveis.



Muitas vezes, infelizmente, perde-se o

autor, mas a mensagem sobrevive ao

tempo, atravessando

séculos e gerações.



Elas marcam um momento que será

eternamente revivido

por todos aqueles que a lerem.



Viva o amor com palavras faladas e escritas.

Mate saudades, peça perdão, aproxime-se.

Recupere o tempo perdido, insinue-se.

Alegre alguém, ofereça um simples "bom dia".

Faça um carinho especial.



Use a palavra a todo instante,

de todas as maneiras.

Sua força é imensurável.



Lembre-se sempre do poder das palavras.



"Quem escreve constrói um castelo,

e quem lê passa a habitá-lo."



(Autor Desconhecido)

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Caminhos da Vida



A vida tem cores que por vezes não percebemos ,

tem sons que nem sempre ouvimos,

tem sabores que não provamos,

armadilhas que nós mesmos armamos,

e caminhos, muitos caminhos,

que ainda não percorremos.

Falta-nos tempo para apreciar os detalhes.

Assim, deixamos o tempo, precioso tempo,

escorrer pelos dedos da mão.

Filhos que crescem e não percebemos,

amores que vão se desfazendo,

caindo na rotina massacrante,

e não percebemos.

Envelhecemos e abandonamos nossos sonhos,

passamos pela vida e reclamamos,

um ano começa e quando vemos,

já acabou sem ao menos termos vivido.

Nossas orações são ladainhas repetidas,

expressões vazias da nossa desilusão,

Deus no trono distante,

nós na Terra errante...

Não há mais tempo para a vida,

apenas para os compromissos inadiáveis da nossa agonia,

somos empurrados pelo consumismo,

somos esmagados pelas dívidas, pelo preço de viver.

Na luta diária da sobrevivência não há tempo:

para poesia, flores, sentar no chão,

andar descalço, comer com a mão,

namorar na praça, andar sem direção

ter com Deus uma comunhão...

Estamos fugindo do encontro crucial

entre nós e os nossos sonhos,

entre o que queremos e o que não temos,

entre o que imaginamos e o que é.

E fica no ar a pergunta: para onde vamos?

Que você vá rumo a felicidade,

descobrindo que a vida é um presente sem igual,

que Deus oferece para alguém especial,

sentindo a brisa da manhã que convida,

para a vida que se abre em flor,

desejando pra você

muita paz e muito amor.
 
 
Paulo Roberto Gaefke

AMADO FILHO.

O dia em que este velho não for mais o mesmo,


tenha paciência e me compreendas.



Quando derramar comida sobre minha camisa

e esquecer como amarrar meus sapatos, tenhas

paciência comigo e lembra-te das horas em que

passei te ensinando a fazer as mesmas coisas.



Se quando conversares comigo, eu repetir as

mesmas histórias que sabes de sobra como

terminam, não me interrompas e me escute.

Quando eras pequeno, para que dormisses, tive

que contar milhares de vezes a mesma estória

até que fechasse os olhinhos.



Quando estivermos reunidos e sem querer fizer

minhas necessidades, não fiques com vergonha.

Compreendas que não tenho culpa disso, pois já

não as posso controlar. Penses, quantas vezes,

pacientemente, troquei tuas roupas para que

estivesse sempre limpinho e cheiroso.



Não me reproves se eu não quizer tomar banho,

sejas paciente comigo. Lembra-te dos momentos

que te persegui e os mil pretextos que inventava

para te convencer a tomar banho?



Quando me vires inútil e ignorante na frente de

novas tecnologias que já não poderei entender, te

suplico que me dê todo o tempo que seja necessário,

e que não me machuques com um sorriso sarcástico.



Lembra-te que fui eu quem te ensinou todas as coisas.

Comer, se vestir e como enfrentar a vida tão bem como

hojes os fazes. Isso é resultado do meu esforço, da minha

perseverança.



Se em algum momento, quando conversarmos, eu me

esquecer do que estávamos falando, tenhas paciência e

me ajude a lembrar. Talvez a única coisa importante

pra mim naquele momento seja o fato de ver você perto

de mim, me dando atenção, e não o que falávamos.



Se alguma vez eu não quizer saibas insistir com carinho.

Assim como fiz contigo.

Também compreendas que com o tempo não terei dentes

fortes, e nem agilidade para engolir.



E quando minhas pernas falharem por estar tão cansadas,

e eu já não conseguir mais me equilibrar...



Com ternura, dá me tua mão para me apoiar, como eu o

fiz quando começastes a caminhar com tuas perninhas

tão frágeis.



E se algum dia me ouvires dizer que não quero mais viver,

não te aborreças comigo. Algum dia entenderás que isto

não tem a ver com teu carinho ou com o quanto te amo.



Compreendas que é difícil ver a vida abandonando aos

poucos o meu corpo, e que é duro admitir que já não tenho

mais o vigor para correr ao teu lado, ou para tomá-lo em

meus braços como antes.



Sempre quiz o melhor para ti e sempre me esforçei para

que teu mundo fosse mais confortável, mais belo, mais florido.



E até quando me for, construirei para ti outra rota em outro

tempo, mas estarei sempre contigo e zelando por ti.



Não te sintas triste ou impotente por me ver assim não

me olhes com cara de dó. Dá-me apenas o teu coração,

compreenda-me e me apoie como o fiz quando começastes

a viver. Isso me dará forças e muita coragem.



Da mesma maneira que te acompanhei no início da tua

jornada, te peço que me acompanhes para terminar a

minha. Trata-me com amor e paciência, e eu te devolverei

sorrisos e gratidão, com o imenso amor que sempre tive por ti.



Atenciosamente,



TEU VELHO.



AOS PAIS... MÃES... e PRINCIPALMENTE...



AOS FILHOS!!!





(Levi da Silva Barreto).

Amor,Respeito e Liberdade!

 
 
Aquilo que existe em mim e faz parte de mim, pode ser transformado, se eu quiser.




Aquilo que é do outro, só pode ser transformado por ele, e será compreendido e aceito por mim dentro dos meus limites, se existir respeito.



Posso falar ao outro como me sinto em relação ao que ele faz ou diz, se houver liberdade.



Não posso afirmar:“Aquilo que o outro fez ou disse me feriu.” Eu é que me feri com AQUILO que ele fez ou disse, tenho opções.



Eu sou dono das minhas emoções, sensações e sentimentos. Também das minhas atitudes, pensamentos e palavras ! Tenho escolhas.



Não é coerente fazer algo bom para alguém só porque esse alguém fez uma boa ação primeiro. Se eu agisse assim eu seria apenas resposta e eco, sem vida.



É mais valioso optar por agir ao invés de apenas reagir. É mais sensato perceber que sou dono de meus atos, e se faço algo, sou o responsável por isso, tenho atitudes.



Reconheço que as rédeas do meu destino estão em minhas mãos, e me recuso a segurar as rédeas do destino do outro, é meu direito.



Busco o AMOR em sua mais bela expressão, e por isso abro mão de querer ter o controle sobre a vida do outro. Quero amar com liberdade ! Quero amar com plenitude !



Quero Amar antes de tudo, porque é bom AMAR com RESPEITO e LIBERDADE !
 
Kali Mascarenhas

terça-feira, 13 de abril de 2010

E PROIBIDO

É proíbido chorar sem aprender, Levantar-se um dia sem saber o que fazer Ter medo de suas lembranças.
É proíbido não rir dos problemas Não lutar pelo que se quer, Abandonar tudo por medo,
Não transformar sonhos em realidade. É proíbido não demonstrar amor Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor. É proíbido deixar os amigos
Não tentar compreender o que viveram juntos Chamá-los somente quando necessita deles. É proíbido não ser você mesmo diante das pessoas, Fingir que elas não te importam,
Ser gentil só para que se lembrem de você, Esquecer aqueles que gostam de você. É proíbido não fazer as coisas por si mesmo, Não crer em Deus e fazer seu destino,
Ter medo da vida e de seus compromissos, Não viver cada dia como se fosse um último suspiro. É proíbido sentir saudades de alguém sem se alegrar,
Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se desencontraram, Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente. É proíbido não tentar compreender as pessoas, Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,
Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte. É proíbido não criar sua história, Deixar de dar graças a Deus por sua vida,
Não ter um momento para quem necessita de você, Não compreender que o que a vida te dá, também te tira. É proíibido não buscar a felicidade,
Não viver sua vida com uma atitude positiva, Não pensar que podemos ser melhores, Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

Zanza

molduras para fotos

Salvem as mulheres

O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana. Tenho apenas um exemplar em casa, que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela

quem me mantém. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha ''Salvem as Mulheres!''. Tomem aqui os meus parcos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:



Habitat - Mulher não pode ser mantida em cativeiro. Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.



Alimentação correta - Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um ''eu te amo'' no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar.



Flores também fazem parte de seu cardápio - Mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial. Música ambiente e um espumante num quarto de hotel são muito bem digeridos e ainda incentivam o acasalamento o que, além de preservar a espécie, facilita a sua procriação.



Respeite a natureza - Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação... Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.



Não tolha a sua vaidade - É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Só não incentive muito estes últimos pontos ou você criará um monstro consumista.



Cérebro feminino não é um mito - Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino.

Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, agüente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.



Não confunda as subespécies - Mãe é a mulher que amamentou você e o ajudou a se transformar em adulto. Amante é a mulher que o transforma diariamente em homem. Cada uma tem o seu período de atuação e determinado grau de influência ao longo de sua vida. Trocar uma pela outra não só vai prejudicar você como destruirá o que há de melhor em ambas.



Não faça sombra sobre ela - Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda. Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.

ernando Veríssimo

Limpando as gavetas


Se é verdade que a cada dia


basta sua carga, por que então

teimamos em carregar para

o dia seguinte nossas mágoas e

dores?



Há ainda os que carregam para

a semana seguinte, o mês seguinte

e anos afora...



Nos apegamos ao sofrimento,

ao ressentimento,



Como nos apegamos a essas

coisinhas que guardamos nas

nossas gavetas,

sabendo inúteis, mas sem

coragem para jogar fora.



As marcas e cicatrizes ficam

para nos lembrar da vida, do que fomos,

do que fizemos e do que devemos evitar.



Não inventaram ainda uma

cirurgia plástica da alma,



onde podem tirar todas as

nossas vivências e nos deixar

como novos.

Ainda bem...



Não devemos nos esquecer do

nosso passado, de onde viemos,

do que fizemos, dos caminhos que

percorremos.

Não podemos nos esquecer de

nossas vitórias, nossas quedas e

nossas lutas.



Menos ainda das pessoas que

encontramos, essas que direcionaram

nossas vidas, muitas vezes sem saber.



que não podemos é carregar dia-a-dia,

com teimosia, o ódio, o rancor, as

mágoas, o sentimento de derrota e o

ressentimento.



Acredite ou não, mas perdoar a quem

nos feriu dói mais na pessoa do que o

ódio que podemos sentir durante toda

uma vida.



As mágoas envelhecidas transparecem no

nosso rosto e nos nossos atos e moldam

nossa existência.



Precisamos, com muita

coragem e ousadia,



abrir a gaveta do nosso coração

e dizer:

Eu não preciso mais disso,



isso aqui não me traz

nenhum benefício

E quando só ficarem a lembrança

das alegrias,

do bem que nos fizeram,

das rosas secas, mas

carregadas de amor

mais espaço haverá para

novas experiências, novos

encontros.



Sua vida merece que, a cada dia,

você dê uma chance para que ela

seja plena e feliz.
 
Leticia Thompson

Avec Elegance

Existe uma coisa difícil de ser ensinada e que, talvez por isso, esteja cada vez mais rara: a elegância do comportamento.

 É um dom que vai muito além do uso correto dos talheres e que abrange bem mais do que dizer um simples obrigado diante de uma gentileza. É um dom que vai muito além do uso correto dos talheres e que abrange bem mais do que dizer um simples obrigado diante de uma gentileza.
É a elegância que nos acompanha da primeira hora da manhã até a hora de dormir e que se manifesta nas situações mais prosaicas, quando não há festa alguma nem fotógrafos por perto. É uma elegância desobrigada.
É possível detectá-la nas pessoas que elogiam mais do que criticam. Nas pessoas que escutam mais do que falam. E quando falam, passam longe da fofoca, das pequenas maldades ampliadas no boca a boca.
É possível detectá-la nas pessoas que não usam um tom superior de voz ao se dirigir a frentistas, por exemplo. Nas pessoas que evitam assuntos constrangedores porque não sentem prazer em humilhar os outros. É possível detectá-la em pessoas pontuais.
 Elegante é quem demonstra interesse por assuntos que desconhece, é quem presenteia fora das datas festivas, é quem cumpre o que promete e, ao receber uma ligação, não recomenda à secretária que pergunte antes quem está falando e só depois manda dizer se está ou não está.
 Oferecer flores é sempre elegante. É elegante não ficar espaçoso demais. É elegante você fazer algo por alguém, e este alguém jamais saber o que você teve que se arrebentar para o fazer... porém, é elegante reconhecer o esforço, a amizade e as qualidades dos outros.
É elegante não mudar seu estilo apenas para se adaptar ao outro. É muito elegante não falar de dinheiro em bate-papos informais. É elegante retribuir carinho e solidariedade. É elegante o silêncio, diante de uma rejeição...
Não há livro que ensine alguém a ter uma visão generosa do mundo,a estar nele de uma forma não arrogante. É elegante a gentileza. Atitudes gentis falam mais que mil imagens... Abrir a porta para alguém é muito elegante... Dar o lugar para alguém sentar... é muito elegante...
Sorrir, sempre é muito elegante e faz um bem danado para a alma... Oferecer ajuda... é muito elegante... Olhar nos olhos, ao conversar é essencialmente elegante...
Pode-se tentar capturar esta delicadeza natural pela observação, mas tentar imitá-la é improdutivo.
A saída é desenvolver em si mesmo a arte de conviver, que independe de status social: Se os amigos não merecem uma certa cordialidade, os desafetos é que não irão desfrutá-la.
 
Martha Medeiros

SAUDADE…


Sou do tempo em que ainda se faziam visitas. Lembro-me de minha mãe mandando a gente caprichar no banho porque a família toda iria visitar algum conhecido. Íamos todos juntos, família grande, todo mundo a pé. Geralmente, à noite.


Ninguém avisava nada, o costume era chegar de paraquedas mesmo. E os donos da casa recebiam alegres a visita. Aos poucos, os moradores iam se apresentando, um por um.

– Olha o compadre aqui, garoto! Cumprimenta a comadre.

E o garoto apertava a mão do meu pai, da minha mãe, a minha mão e a mão dos meus irmãos. Aí chegava outro menino. Repetia-se toda a diplomacia.

– Mas vamos nos assentar, gente. Que surpresa agradável!

A conversa rolava solta na sala. Meu pai conversando com o compadre e minha mãe de papo com a comadre… Eu e meus irmãos ficávamos assentados todos num mesmo sofá, entreolhando-nos e olhando a casa do tal compadre. Retratos na parede, duas imagens de santos numa cantoneira, flores na mesinha de centro… casa singela e acolhedora. A nossa também era assim.

Também eram assim as visitas, singelas e acolhedoras. Tão acolhedoras que era também costume servir um bom café aos visitantes. Como um anjo benfazejo, surgia alguém lá da cozinha – geralmente uma das filhas – e dizia:

– Gente, vem aqui pra dentro que o café está na mesa.

Tratava-se de uma metonímia gastronômica. O café era apenas uma parte: pães, bolo, broas, queijo fresco, manteiga, biscoitos, leite… tudo sobre a mesa.

Juntava todo mundo e as piadas pipocavam. As gargalhadas também. Pra que televisão? Pra que rua? Pra que droga? A vida estava ali, no riso, no café, na conversa, no abraço, na esperança… Era a vida respingando eternidade nos momentos que acabam…. era a vida transbordando simplicidade, alegria e amizade…

Quando saíamos, os donos da casa ficavam à porta até que virássemos a esquina. Ainda nos acenávamos. E voltávamos para casa, caminhada muitas vezes longa, sem carro, mas com o coração aquecido pela ternura e pela acolhida. Era assim também lá em casa. Recebíamos as visitas com o coração em festa.. A mesma alegria se repetia. Quando iam embora, t ambém ficávamos, a família toda, à porta. Olhávamos, olhávamos… até que sumissem no horizonte da noite.

O tempo passou e me formei em solidão. Tive bons professores: televisão, vídeo, DVD, e-mail… Cada um na sua e ninguém na de ninguém. Não se recebe mais em casa. Agora a gente combina encontros com os amigos fora de casa:

– Vamos marcar uma saída!… – ninguém quer entrar mais.

Assim, as casas vão se transformando em túmulos sem epitáfios, que escondem mortos anônimos e possibilidades enterradas. Cemitério urbano, onde perambulam zumbis e fantasmas mais assustados que assustadores.

Casas trancadas.. Pra que abrir? O ladrão pode entrar e roubar a lembrança do café, dos pães, do bolo, das broas, do queijo fresco, da manteiga, dos biscoitos do leite….

Que saudade do compadre e da comadre!



Não deixe de fazer algo que gosta, devido á falta de tempo, pois a única falta que terá será esse tempo que, infelizmente, não voltará mais.

MÁRIO QUINTANA
José Antônio Oliveira de Resende




(Professor de Prática de Ensino de Língua Portuguesa, do Departamento de Letras, Artes e Cultura, da Universidade Federal de São João del-Rei)

SALVEM AS MULHERES.......

O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana. Tenho apenas um exemplar em casa, que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela


quem me mantém. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha ''Salvem as Mulheres!''. Tomem aqui os meus parcos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:



Habitat - Mulher não pode ser mantida em cativeiro. Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.



Alimentação correta - Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um ''eu te amo'' no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar.



Flores também fazem parte de seu cardápio - Mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial. Música ambiente e um espumante num quarto de hotel são muito bem digeridos e ainda incentivam o acasalamento o que, além de preservar a espécie, facilita a sua procriação.



Respeite a natureza - Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação... Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.



Não tolha a sua vaidade - É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Só não incentive muito estes últimos pontos ou você criará um monstro consumista.



Cérebro feminino não é um mito - Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino.

Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, agüente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.



Não confunda as subespécies - Mãe é a mulher que amamentou você e o ajudou a se transformar em adulto. Amante é a mulher que o transforma diariamente em homem. Cada uma tem o seu período de atuação e determinado grau de influência ao longo de sua vida. Trocar uma pela outra não só vai prejudicar você como destruirá o que há de melhor em ambas.



Não faça sombra sobre ela - Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda. Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.


Fabio Reynol

ATIRE A PRIMEIRA FLOR.


Quando tudo parece caminhar errado, seja você


a tentar o primeiro passo certo.

Se tudo parece escuro, se nada puder ser visto,

acenda a primeira luz.



Traga para a treva, você primeiro a pequena

lâmpada.



Quando todos estiverem chorando, tente você o

primeiro sorriso.

Não na forma de lábios sorridentes,



Mas na de um coração que compreenda, de braços

que confortem.

Parta você em busca do primeiro sim, ao qual tudo

de positivo deverá seguir-se.



Quando ninguém souber coisa alguma e você souber

um pouquinho, seja o primeiro a ensinar:

Começando por aprender você mesmo, corrigindo-se

a si mesmo.



Quando alguém estiver angustiado, a procura nem

sabendo o que, observe o que se passa.

Talvez seja em busca de você mesmo que está seu

irmão esteja.



Quando a terra estiver seca, que sua mão seja a primeira

a regá-la.

Quando a flor estiver murcha, seja o primeiro a separar o

joio, a arrancar a praga, a afagar a pétala, a acariciar a flor.



Se sua porta estiver fechada, de você venha a primeira chave.

Se o vento sopra frio, que o calor de sua lareira seja a primeira

proteção e o primeiro abrigo.



Se o pão for apenas massa e não estiver assado, seja você mesmo

o primeiro forno para transformá-lo em alimento.

De acusadores o mundo está cheio.

Nem, por outro lado, aplauda o erro.



Ofereça sua mão primeiro para levantar quem caiu.

Dê sua atenção primeiro para mostrar o caminho de

volta, compreendendo que o perdão regenera, que é

compreensão edificada que o possibilita, e que o

entendimento reconstrói.



Toda escada tem um degrau para baixo ou para o alto.

Toda estrada tem um primeiro passo para frente ou

para trás.



Toda vida tem um primeiro gosto de existência ou

de morte. Atire você, com ternura e vontade de entender,

quando tudo for pedra,



A PRIMEIRA E DECISIVA FLOR...



(Glácia Daibert).

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Conquiste a Paz

Photobucket

Deficiência

Deficiência
Deficiente é aquele que não consegue modificar a vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

Células Tronco

Células Tronco

NOBREZA

NOBREZA

LIBERDADE

LIBERDADE
Porque a liberdade tem que ser uma conquista individual para depois se tornar um enorme plural...

LUNNA

LUNNA
UNA BELLISSIMA LUNA PIENA

Limitação

Limitação
Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: Quero é uma verdade inventada. Clarice Lispecto

OSHO

OSHO
"Cada um é único e incomparável. Você é apenas você mesmo: ninguém nunca foi como você e ninguém nunca será como você. E você também não precisa ser nenhum outro." OSHO

Como uma borboleta

Como uma borboleta
Mas o que realmente era preciso era pensamento positivo. Que poderia ser livre, bem aceita, e voar leve, por onde desejasse. Que pensasse em ser borboleta o tempo todo e tudo poderia ir mudando, até que, mais rápido do que ela imaginasse, ela sairia do casulo, como uma borboleta.

AMOR

AMOR
O ódio revela muita coisa que permanece oculta ao amor. Lembra-te disso e não desprezes a censura dos inimigos.

COLO DE MÃE É UMA DELICIA!

COLO DE MÃE É UMA DELICIA!

PRECE A MÃE TERRA

PRECE A MÃE TERRA
foto

Secret

Secret

Relogio

relojes web gratis

clima

pais on line